sábado, 11 de outubro de 2014

Na fila do supermercado

Organizava minhas compras sobre o balcão do caixa do supermercado para rapidamente me livrar da cestinha que pendia em meu braço. O ato apressado fez com que uma compra minha fosse passada junto com as da moça que estava sendo atendida. Entre pedidos de desculpas, o meu item foi desmarcado da relação de compras dela, e no instante seguinte minhas coisas começaram a ser registradas, e sorrindo disse: “Nada que não pudesse ser solucionado!
Acho que muita coisa pode ser solucionada, menos uma”, disse a atendente.
Perguntei que coisa era essa, e ela disse: “A morte.”
Pareceu-me que ela fez questão em mencionar tal fato. Talvez tenha perdido alguém querido, mas como não a indaguei, então estou apenas conjeturando. Eu parei, pensei e disse: “Em certos aspectos, a morte tem solução sim, se caso existir a reencarnação.”
Será que existe?” perguntou ela com um sorriso.
E eu disse que sim, que inclusive existem provas que sugerem tal fenômeno, crianças que afirmam lembrar de vidas passadas, fornecendo informações precisas de pessoas falecidas, cujo conhecimento não foi adquirido pelos meios comuns.
Ela me olhou muito surpresa enquanto eu pegava minhas sacolas com as compras, e então eu disse antes de ir: “Algum dia voltamos, todos voltaremos.”
Ao sair do mercado fui tomado pela curiosidade de por que ocorrera o diálogo com a atendente. Qual o sentido que há por trás do acontecido. Sou um daqueles que acham que a vida não se esgota no material, mas que há muito mais coisas. No caminho de retorno para casa resolvi escrever este pequeno relato.

(escrito em 11 de maio de 2012)

Nenhum comentário:

Postar um comentário